PARANÁ | BRASIL: ILHA DO MEL / PARANÁ - Parece um lugar rústico, mas eh espetacular. Não tem como não se apaixonar por um paraíso deste

ILHA DO MEL / PARANÁ - Parece um lugar rústico, mas eh espetacular. Não tem como não se apaixonar por um paraíso deste





Cartão de visitas para quem chega pelo mar, a Ilha do Mel, eterna guardiã das principais baías do Paraná, possuí a Floresta Atlântica mais preservada do país.

Patrimônio de toda a humanidade, a Ilha do Mel tem 90% de sua área total como área de Preservação Ambiental. As colônias e comunidades de pescadores não estão na área do parque
São diversas praias desertas cercadas por muito verde, manguezais, restingas e Mata Atlântica. Compondo esse ecossistema, orquídeas, bromélias, uma rica vida marinha, e um grande número de aves, destacando o papagaio-chuá ou de-cara-roxa, incluído na lista de animais em extinção, a garça-azul, garça moura, saracura, biguá e o colhereiro.
Um fato interessante, é que o trecho que liga Brasília , último vilarejo da Ilha ao norte da Ilha ,foi separado pelo movimento das marés. Em 1954 esse istmo tinha 152 metros de largura, hoje tem cerca de 30 metros de largura e em grandes ressacas fica totalmente submerso.
A Ilha ocupa uma área de 2.762,00 ha, morros e planícies com trilhas que dão acesso à diversas praias e atrações turísticas, destacando a Gruta, a Fortaleza e o Farol das Conchas.
A Secretaria de Estado do Meio Ambiente e Recursos Hídricos estabelece o limite máximo de 5.000 pessoas/dia para visitação à Ilha do Mel, promovendo também a conscientização ambiental dos turistas
foto - praias.360.com.br
Pequena, mas capaz de agradar a vários tipos de turistas, dos aventureiros aos mais caseiros. Para desfrutá-la, porém, é preciso seguir um pequeno manual de sobrevivência: aqui não entram carros, você terá que caminhar por trilhas de areia, e à noite apenas uma lanterna poderá iluminar seu caminho.
A Praia de Encantadas reúne a galera mais jovem, enquanto Nova Brasília tem melhor estrutura de hospedagens e restaurantes. Embora o ambiente seja rústico em ambas, a maioria das pousadas é bem equipada.
COMO CHEGAR
A partir de Curitiba, pela BR-277 chega-se a Paranaguá, um dos pontos de embarque para a Ilha do Mel. São apenas duas saídas: às 9h30 e às 15h30 (duas horas de travessia, R$ 13,50). Boa opção para quem não se sente confortável em longas viagens de barco é embarcar no distrito de Pontal do Sul, a 10 km de Paranaguá. Deixe o carro em um estacionamento (R$ 15 por dia) e siga para o cais. Há saídas de hora em hora entre 8h e 17h (30 minutos de travessia, R$ 13 na ida e R$ 10 na volta).
COMO CIRCULAR
As vilas de Nova Brasília, Encantadas e Fortaleza reúnem quase todas as hospedagens da ilha, por isso é importante informar-se em qual delas fica a sua pousada. Desembarque sempre no trapiche correspondente, onde há ajudantes para levar a bagagem.

Caminhar é o jeito tradicional de chegar às praias ou às atrações turísticas. E não se preocupe, as trilhas são sinalizadas e seguras. Boa opção para encurtar os trajetos é alugar uma bicicleta. Barcos regulamentados levam os turistas de Nova Brasília a Encantadas, em intervalos de uma hora.
Não se preocupe se não der para conhecer a parte interna da gruta, com piso de areia e pouco espaço. O importante, aqui, é ver a grande abertura, no meio das rochas da Praia de Fora das Encantadas - uma das imagens clássicas da ilha. Acesso durante a maré baixa, geralmente entre 8h e 13h, por uma leve trilha (15 minutos) a partir do trapiche de Encantadas, facilitado por um deque sobre as pedras.
Restrições
Tramita na Assembleia Legislativa do Paraná uma lei que determina como a Ilha do Mel deve ser administrada, que deve incluir um plano de sustentabilidade do local. Atualmente, não é possível nenhuma nova construção no local.
Os terrenos são padronizados, com média de 500 metros quadrados cada, e permissão para construção em apenas 38% da área. A altura máxima de edificação permitida é de 5,9 metros. Enquanto a Prefeitura de Paranaguá é responsável pelo serviços de coleta e transbordo do lixo para o continente, funcionalismo, escolas, dentre outros, o Instituto Ambiental do Paraná (IAP) cuida da área ambiental.
A Ilha do Mel possui limite de pessoas simultaneamente no local – 5 mil. Só é possível a entrada de pessoas através de barco, via Pontal do Paraná ou Paranaguá. Não são permitidos veículos motorizados.
História
De acordo com a administradora da Ilha do Mel, Suzi Albino, as construções mais antigas e que ainda estão preservadas são a Fortaleza de Nossa Senhora dos Prazeres, construída no século 18 para proteger a entrada da ilha, e o Farol das Conchas, que data de 1872.
foto - Ricardo Junior
As duas edificações remontam aos tempos do Império, e auxiliavam na função da Ilha como entreposto de escravos. “A Inglaterra começou a boicotar os países que realizavam o tráfico de escravos, então os navios portugueses começaram a evitar os portos mais visados. Eles precisavam encontrar outras maneiras de desembarcar, e assim a Ilha do Mel começou a se desenvolver”, conta.
Origem do turismo
A Ilha do Mel passou a ser vista como ponto turístico entre os anos 20 e 30, segundo Suzi. É considerada o primeiro balneário do Paraná, e nesse período recebeu uma colônia de alemães que ajudou no desenvolvimento da região.
ESTA ILHA É UM PATRIMÔNIO ECOLÓGICO DE TODA A HUMANIDADE. A ILHA DO MEL TEM 95% DE SUA ÁREA COMPOSTA POR ECOSSISTEMAS DE RESTINGA E FLORESTA ATLÂNTICA. O QUE A ELEVOU À CATEGORIA DE ESTAÇÃO ECOLÓGICA EM 1982.

AQUI, VOCÊ TERÁ TRILHAS PARA CAMINHADAS EM MEIO A ESTA BELEZA TODA. VOCÊ IRÁ A LOCAIS DE ONDE PODERÁ OBSERVAR TODA ESTA BELEZA. VER INÚMEROS ANIMAIS, PLANTAS E FLORES QUE SÓ AQUI VOCÊ PODERÁ VER.
O FAROL DAS CONCHAS SITUA-SE NO MORRO DAS CONCHAS. FOI CONSTRUÍDO POR ORDEM DE D. PEDRO II, CUMPRINDO, DESDE 1872 ATÉ NOSSOS DIAS, SEU OBJETIVO DE ORIENTAR OS NAVEGADORES QUE ADENTRAM A BAÍA DE PARANAGUÁ.
PROGRAME SUAS PRÓXIMAS FÉRIAS PARA VIR NESTE PARAÍSO. VOCÊ NÃO IRÁ SE ARREPENDER

Fonte dos textos e Fotos = g1.com / viajeaqui.abril.com.br / Thymonthy Becker / Charlie Styforlamber 





CONHEÇA O ESTADO DE GOIÁS 


VALEU PELA AVENTURA

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Valeu por viajar no tempo